sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Golpe do amor": PF alerta para falsos namoros que acabam em dinheiro perdido.




Polícia Federal dá dicas de segurança nas relações e como evitar tornar-se vítima de um esquema de sedução; 88% das vítimas dos golpes são mulheres.


Conhecer alguém pela internet requer certos cuidados para saber com quem está se relacionamento. Muitas vezes, a pessoa do outro lado da tela não é quem diz ser de verdade e pretende apenas extorquir dinheiro. É o chamado "Golpe do amor", em que 88% das vítimas são mulheres, de acordo com dados do canal Alerta na Rede.


Polícia Federal dá dicas para não cair no 'Golpe do amor'; pernambucana quase foi vítima e dá detalhes da história
Segundo Giovanni Santoro, chefe de comunicação social da Polícia Federal de Pernambuco, os golpe são aplicados por estrangeiros que falam português ou brasileiros que se passam por gringos. A estratégia é analisar mulheres, principalmente as com boas condições financeiras entre 44 e 55 anos, que tenham deixado uma relação recentemente e queiram um novo par.

Nessas ocasiões, os estelionatários mandam mensagens nas redes sociais, como é o caso do Facebook, e podem chegar até o WhatsApp.

 E uma pernambucana, que não teve a identidade divulgada, quase foi vítima do " Golpe do amor ". Em julho, ela conheceu virtualmente um homem se passou por estrangeiro que falava português e dizia ser um militar.

Durante as conversas, ele disse que estava na zona de guerra e que, para vir ao Brasil, precisaria pagar um fundo de emergência que o permitisse sair de lá e chegar ao país em 48 horas. “Eu já tinha percebido que era um possível golpe. Comecei a me envolver como se tivesse caindo para que ele pudesse mostrar com mais detalhes e clareza o que queria”, diz a mulher.


Em uma das mensagens enviadas, ele pede que a vítima entre em contato com o coronel por e-mail e, assim, pague a taxa de aprovação para que ele saia, no valor de R$ 1,5 mil. Ele ainda diz que, assim que chegar, vai cuidar da família deles, comprar uma casa e abrir uma escola e um orfanato.

“A princípio, ele passa um perfil falso e cria uma situação que envolve sentimentos. Ele fica querendo conhecer e, na realidade, depois mostra as verdadeiras intenções”, declara a pernambucana. “Tentei fazer chamada de vídeo, mas ele não atendeu”, pontua ela, que procurou a Polícia Federal assim que ficou desconfiada para pedir esclarecimentos.

O que fazer para evitar cair nos golpes?
Para evitar cair em golpes similares, Santoro dá algumas dicas importantes. A primeira delas é tomar cuidado e se envolver racionalmente com a pessoa: ver onde ela mora, se estuda, se tem filhos, se trabalha, checar os contatos de telefone e analisar as fotos com os amigos e parentes. Depois que pegar essas informações e saber que é tudo verdade, a mulher analisa se vale a pena se envolver emocionalmente.

“Se inverter a ordem, pode ser vítima dos bandidos”, pontua. Além disso, é importante fazer chamadas de vídeo. Isso porque, geralmente, a foto usada no perfil é de outra pessoa, que também pode ser vítima e não ter nenhuma relação com o caso. Se ela se negar a aceitar, pode ser um golpe.

Em todas as situações, se o estelionatário dizer que está precisando de dinheiro e exigir qualquer depósito, de quem quer que seja, Santoro diz para não depositar o valor. É fundamental, ainda, que os filhos monitorem os pais, uma vez que as vítimas podem esconder essas informações dos familiares.

Outro ponto importante é quando os ladrões falam que compraram a aliança, por exemplo, e estão enviando por encomenda. No entanto, dizem que a peça ficou na Alfândega e informam que o item só poderá ser liberado mediante o pagamento de determinado valor na conta de um agente. A Receita Federal, por sua vez, não trabalha dessa forma. Todos os tributos são recolhidos pelo Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF).



Caso já tenha caído no " Golpe do amor ", as recomendações são não entrar mais em contato com a pessoa e bloqueá-lo de todas as redes e, se tiver, do WhatsApp. Em seguida, é necessário procurar uma das Delegacia da Mulher ou Polícia Civil e levar a cópia das mensagens, as informações do golpista, como a foto, a conta bancária dele e os comprovantes de depósitos realizados.


Fonte: Delas - iG

0 comentários: