.

.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Descalço, com beca e só de cueca, promotor é preso de novo por quebrar TV e hotel


O promotor de Justiça Fábio Camilo da Silva se envolveu em mais confusões após ser liberado pela Polícia Militar, depois de ter interceptado supostamente dirigindo embriagado, na tarde de sábado (1º). Na madrugada deste domingo (2), ele teria ameaçado hóspedes de um hotel da cidade e jogado água em um deles. Horas depois, no período da manhã, ele quebrou a porta de vidro de uma emissora. Novamente, ele foi detido.
No sábado, o promotor havia discutido com policiais militares em uma rodovia próxima a Peixoto de Azevedo, após ser interceptado pela PM em razão de dirigir supostamente embriagado. Ele foi conduzido para a Delegacia, acompanhado de outro membro do MPE, chamado para acompanhar a ocorrência. O delegado plantonista registrou boletim de ocorrência sobre o caso, no qual apontou que Silva cometeu crime de desacato e embriaguez ao volante.
O promotor, porém, não permaneceu preso, pois possui prerrogativa de foro, em razão do cargo. Caso ele ficasse detido, os militares poderiam ser presos por abuso de autoridade. A legislação determina que autoridades com foro podem ser presas somente em crimes inafiançáveis, como tráfico de drogas, racismo, tortura, crimes hediondos e terrorismo.

Nenhum comentário: