.

.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Ministério Público manda ‘transformar’ 6 hospitais regionais; Governo do Estado fraco e reconhecendo sua incapacidade, obedece

Resultado de imagem para hospital regional de são paulo do potengi imagem
Pela primeira vez na vida, uma instituição que não tem capacitação cientifica ou de gestão hospitalar, abusando de suas prerrogativas determina que o Governo do Estado, responsável pela gestão dos hospitais regionais transformem unidades que atendem pessoas em diversos municípios do interior do RN.
O Ministério Público do Trabalho, o Ministério Público do Estado e o Governo do Rio Grande do Norte firmaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para que a rede estadual de saúde seja reavaliada. O objetivo é que a rede também passe por mudanças para que sejam minimizados problemas estruturais e de procedimentos, incluindo a transformação de hospitais em unidades básicas de atendimento.
Circula no meio politico que essa iniciativa é do Governo do Estado para economizar custos com o abastecimentos dos hospitais regionais, e neste caso para evitar um grande desgaste politico envolveu o Ministério Público do RN e Ministério Público do Trabalho.
Confira os hospitais que terão suas ofertas de atendimentos reduzidos:
  • Hospital Regional Professor Dr. Getúlio de Oliveira Sales, em Canguaretama;
  • Hospital Regional Dr. Aguinaldo Pereira, em Caraúbas;
  • Hospital Regional de João Câmara, em João Câmara;
  • Hospital Regional Dr. Odilon Guedes, em Acari;
  • Hospital Regional de São Paulo do Potengi, em São Paulo do Potengi;
  • Hospital Regional de Angicos, em Angicos;
  • Hospital Regional de Apodi, em Apodi.
O Governo do Estado divulgou nota sobre a questão:
NOTA
A respeito do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pelo Governo do Estado com o Ministério Público do Trabalho e o Ministério Público Estadual, esclarecemos os seguintes pontos:
O TAC foi sugerido pelo MP após um minucioso estudo realizado sobre o atendimento na rede de hospitais regionais do RN, que identificou a necessidade de uma adequação à realidade financeira do Estado;
O Termo determina a elaboração de um plano de revisão dos hospitais da rede, observando-se critérios de otimização dos recursos orçamentários escassos;
Também está prevista a conversão de hospitais que não apresentam condições estruturais de atendimento pleno para Unidades de Pronto-atendimento, UBS – Unidade Básica de Saúde, Sala de Estabilização, de forma que permaneçam em funcionamento como unidades de saúde;
Trata-se, portanto, de um reordenamento para definir uma melhor aplicação e distribuição dos recursos destinados à rede e, consequentemente, por um melhor atendimento à população, com hospitais em pleno funcionamento.
O Governo do Estado trabalha para garantir o melhor atendimento a toda a população, sem desperdício de recursos.
Do Blog : 
Verificando que no momento que Governo do Estado assinou o Termo de Ajustamento de Conduta reconheceu que sua gestão nos hospitais regionais está completamente equivocada. Foi o reconhecimento da falta de capacidade de gerir os hospitais e para que seja garantida uma gestão eficiente o Ministério Público do RN e do Trabalho tiveram que intervir.. Portando, o Governo do Estado reconheceu seu total fracasso.. 

Nenhum comentário: