Twitter            

.

.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

SOLIDARIEDADE EXCLUI PRISCILA MULLER, QUE EMITE NOTA DE ESCLARECIMENTO

FOTO: ADRIANA NASCIMENTO

Recebi com surpresa e indignação o comunicado do deputado Kelps Lima informando que eu não teria mais o apoio do solidariedade para disputar um mandato de deputada estadual em 2018. A principal alegação mencionada pelo presidente é de que o meu irmão, prefeito de Caiçara do Rio do Vento, atualmente filiado no PMDB, não aceitou se filiar ao SDD.

É importante esclarecer bem os fatos para que não fique evidenciada apenas a versão unilateral do que realmente aconteceu. Ao ser convidada, pessoalmente pelo deputado para ingressar no partido, ficou acertado que trabalharíamos o ingresso do prefeito Felipinho. Ação que vinha sendo discutida.

Desde que me foi garantido espaço, inclusive com a minha presença e participação no programa eleitoral, venho trabalhando o projeto da pré candidatura, visitando os municípios do estado e costurando apoios e alianças para o meu projeto e o do partido. Isso, aliás, sempre foi a tônica do meu trabalho.

Na semana que antecedeu esse comunicado, a nossa pré campanha foi mencionada em mais de 26 blogs e portais de notícia em todas as regiões do Rio Grande do Norte, divulgando, inclusive a legenda partidária.

Estranhamente, e logo depois dessa ampla divulgação, recebi, via mensagem de whatsap, questionamento do deputado Kelps, alegando, entre vários fatores, a necessidade imediata da filiação do meu irmão ao solidariedade. Na ocasião, solicitei o prazo de uma semana para que nossas conversas com Felipinho evoluíssem. Isto aconteceu no ultimo domingo, 12/11.

Para nossa surpresa, minha, de membros do grupo #EuSouDoRNinteiro e de Felipão, a quem o deputado se refere como “meu grande amigo”, recebemos mais uma vez por whatsap, desrespeitando o prazo acordado e em pleno feriado, mensagem questionando problemas pessoais e de ordem familiar, e já apontando que eu não teria mais espaço dentro do partido. Surpresa porque como tinha solicitado o prazo de uma semana e esta ainda venceria no dia 18, quando apresentaríamos a nossa decisão, o Deputado me informa também por mensagem que eu não teria mais o apoio e, de imediato, comunica ao grupo do partido a sua decisão.

Reafirmei por diversas vezes a minha vontade de permanecer no Solidariedade para construir um projeto político e de poder forte, como sempre defendido nas reuniões do partido.

Importante esclarecer que o nosso presidente ao me convidar para ingressar no sdd me abrindo espaço para a pré candidatura, o fez pessoalmente, em conversa olho no olho com um sorriso largo no rosto. O que estranho e lamento profundamente é que não houve a mesma postura ao me excluir do partido por Whatsapp. A decisão do presidente fere profundamente, os princípios tão defendidos por novas posturas, com ética, transparência e acima de tudo a verdade.

Questiono tal decisão simplesmente pelo fato de ser essa, ao que parece, uma decisão unilateral, apenas ouvindo membros da executiva sem, efetivamente, haver reunião para discussão do assunto, como é praxe e exige os bons fundamentos de uma agremiação partidária.

Mesmo filiada ao sdd, não me foi dado o direito de expressão quando fui retirada de forma sumária do grupo do partido, numa clara demonstração do que o que se prega pelo presidente não é exatamente o que se faz. Disse ao deputado Kelps que me sentia perseguida e discriminada ao que recebi dele: “você tem todo direito de se sentir como quiser”.

Mais uma vez lamento, afinal, a discordância é fator prioritário para a boa e salutar convivência política.

Não desistirei da luta. Não aceitarei posturas despóticas. Resistirei a todas as adversidades, traições, manobras e artimanhas que surgirem pelo caminho.

Continuarei trabalhando para fortalecer a minha pré candidatura e ajudar o Rio Grande do Norte a se livrar das velhas práticas que só trouxeram atraso ao desenvolvimento do estado. Lutarei ainda com mais afinco, para ver eliminada da nossa politica, essa prática danosa de transformar as legendas partidárias em grupos fechados que funcionam conforme a vontade dos seus mandatários.

A luta continua. Avante!

Priscila Müller
#EuSouDoRNinteiro

Nenhum comentário: