.

.

quinta-feira, 2 de março de 2017

Meteorologistas preveem “chuvas normais” nos próximos três meses

A imagem pode conter: céu, casa e atividades ao ar livre
O resultado da II Reunião de Análise e Previsão Climática para a Região Nordeste do Brasil, encerrada nesta terça-feira (21) na sede da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), prevê a tendência de que as chuvas apresentem um comportamento próximo da normalidade climatológica em grande parte do norte do Nordeste, incluindo o Rio Grande do Norte.
De acordo com o Gerente de Meteorologia da EMPARN, Gilmar Bristot, “as chuvas serão mais intensas em regiões como o Alto Oeste e Vale do Assu. Já em áreas como o Seridó, Agreste e Litoral as precipitações devem ser mais escassas. A média de chuvas no semiárido para os próximos três meses deve girar em torno de 500mm, o que não será suficiente para encher os grandes reservatórios, mas garante uma boa recarga de água nas pequenas bacias”, afirma. A previsão é para a quadra chuvosa de março a maio.
A elaboração do documento contou com a participação dos meteorologistas de instituições estaduais, além do INPE/INMET e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). ANÁLISE Com mapas ilustrando o documento final, os meteorologistas apresentaram a análise dos campos atmosféricos e oceânicos de grande escala (vento em superfície e em altitude, pressão ao nível do mar, temperatura da superfície do mar, entre outros) e dos resultados de modelos numéricos globais e regionais, assim como de modelos estatísticos de diversas instituições de meteorologia do Brasil (como a FUNCEME, INMET, CPTEC/INPE) e do exterior, o que acabou indicando o prognóstico climático para o período de março, abril e maio de 2017 na Região Nordeste do Brasil.
Na análise das condições oceânicas e atmosféricas, os meteorologistas concluíram que “no oceano Pacífico equatorial, observou-se uma condição de neutralidade, com algumas pequenas áreas na parte central ainda apresentando anomalias negativas de Temperatura da Superfície do Mar (TSM) alcançando até -1ºC. O enfraquecimento do Fenômeno La Niña ocorreu de acordo com os resultados dos modelos de previsão de anomalia de TSM, e a condição de neutralidade deverá prevalecer no Oceano Pacifico equatorial nos meses de março, abril e maio”.

Um comentário:

Anônimo disse...

Boa Noite assessora numero um da prefeita mara,dona blogueira faça uma entrevista com o secretário de agricultura de Riachuelo que eu ainda não sei quem é para falar sobre o nosso corte de terra desse ano ou melhor Adriana faça uma reportagem para agente de Riachuelo saber quem são os secretários da prefeita mara dessa nova gestão convide eles para uma entrevista para a nossa população de Riachuelo conhecer todos na minha opinião você fazia de todos os secretários prefeita a vice prefeita e os vereadores eleitos que quisesse fazer uma entrevista no seu blog isso é só uma sugestão.Edson Pereira da serra da Melosa.