.

.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Cármen Lúcia homologa delações da Odebrecht

Cármen Lúcia, presidente do Supremo. Não, ela não pode ser relatora do petrolão (Foto: Daniel Ferreira/Metrópoles)

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, homologou as 77 delações de executivos e ex-executivos da empreiteira Odebrecht, conforme revelou a coluna Radar. Os sigilos dos depoimentos serão mantidos e o material será encaminhado para a Procuradoria Geral da República (PGR), que irá analisar os depoimentos para decidir se oferece denúncia.

O próximo passo será a definição do relator dos processos que eram do ministro Teori Zavascki, morto em desastre aéreo em Paraty, litoral do Rio de Janeiro. Cármen Lúcia passou a semana consultando ministros, por telefone e em audiências reservadas, sobre qual método deveria adotar na definição do relator. Diante da impossibilidade de consenso, a ideia é conseguir uma maioria confortável de apoiadores entre os ministros para passar a percepção de que o STF está unido na solução da relatoria e minimizar manifestações públicas de insatisfação dos magistrados cujas teses ficarem vencidas.

Nenhum comentário: