.

.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Participante do ‘The Voice Kids’ presta queixa por ofensas na internet

Participante do The Voice foi com a mãe à DRCI para registrar queixa contra ofensas na internet (Foto: Alessandro Ferreira/G1)

A jovem Franciele Fernanda da Silva Cruz, de 14 anos, esteve na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) do Rio, na Zona Norte, na tarde desta terça-feira (10) para registrar uma queixa contra um homem que a atacou com comentários racistas em redes sociais. A menina foi agredida depois de sua estreia no programa The Voice Kids, quando cantou uma música de Milton Nascimento e atraiu a atenção do próprio compositor, que a elogiou em sua conta no Facebook.

A cantora foi ofendida em vários comentários feitos num post de Milton Nascimento, que havia elogiado sua performance cantando ‘Maria Maria’. Franciele disse ter ficado muito triste e indignada ao ler as postagens racistas, feitas por um mesmo usuário.

“Fiquei muito feliz quando vi o post do Milton, ainda nem tive coragem de escrever agradecendo a ele. Depois vi as ofensas e fiquei triste, mas também indignada, por isso disse para minha mãe que queria fazer uma denúncia disso. E que outras vítimas, como eu, se inspirem para denunciar também”, contou Franciele.

A mãe da menina, Irineia Prates da Silva, de 35 anos, disse que nunca havia acontecido nada semelhante com sua família desde que chegaram ao Rio, em fevereiro de 2016. Ela e a filha se mudaram em busca de oportunidades e aprimoramento profissional para a jovem, deixando para trás a pequena Araputanga, a 400 km de Cuiabá (MT).

“Primeiro pensei que era coisa de criança, mas quando vi que um homem adulto estava fazendo isso fiquei muito chocada e resolvi apoiar minha filha. Nunca passamos por isso aqui ou em nossa terra natal, é tudo muito triste”, disse ela.

O professor de canto de Franciele, Diego Timbó, contou que o agressor chegou a ser alertado por internautas sobre seu comportamento, mas rebateu as críticas dizendo que não estava cometendo crime de racismo. “Ele parece não entende que sua conduta é criminosa, então viemos apoiar a Franciele para que ele aprenda. O que ele fez é, sim, crime”, afirmou.

Nenhum comentário: