.

.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Desde o afastamento de Dilma, panelas brasileiras só servem para cozinhar




As panelas brasileiras estão mudas desde o afastamento da presidente Dilma. Sozinhas, nos armários, elas voltaram a mesma função que sempre tiveram: apenas servir para cozinhar. Um tédio, acredita a frigideira. Vou morrer de depressão, afirma a panela de pressão.
 O presidente em exercício que nunca fica sarado Michel Temer recebeu a visita de alegres atletas olímpicos e disse que com as medalhas que receberemos, o Brasil mostrará sua verdadeira face ao mundo. Mostrar-lhes-á. Mostra-lhe-às. Mostarda-lhes. Whatever. Seja lá o que ele quis dizer com isso.
 Temer teve outra alegria: conseguiu eleger Rodrigo Maia, do DEM, seu candidato preferido à presidência da Câmara dos Deputados. Maia chorou.
Só ele. As panelas continuam mudas. Assim vou me jogar da pia e dar adeus a este mundo cruel, ameaça o panelão de feijoada.

Nenhum comentário: