.

.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Polícia Federal prende irmã, 5 filhos e braço-direito de Fernandinho Beira-Mar

Resultado de imagem para Polícia Federal prende irmã, 5 filhos e braço-direito de Fernandinho Beira-Mar

A Polícia Federal cumpre, desde as 6h desta quarta-feira (24), mandados de prisão em cinco estados e no Distrito Federal contra a quadrilha do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar. Até a última atualização desta reportagem, haviam sido presos cinco filhos do criminoso, uma irmã dele, e um braço-direito do traficante, além de outras 17 pessoas.

No total, 10 parentes tiveram a prisão pedida. Alessandra da Costa, irmã e advogada do traficante e apontada como sua conselheira, foi presa onde mora, em um condomínio de luxo no bairro Vinte e Cinco de Agosto, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Contra ela havia um mandado de prisão por organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Os cinco filhos de Beira-Mar presos são: Taiuã Vinícius da Costa, Thuany Moraes da Costa, Luan Medeiros da Costa, Felipe Alexandre da Costa e Marcelo da Costa.

A mulher do traficante, Jacqueline Alcântara de Moraes, já estava presa no Mato Grosso do Sul e vai ser levada para Porto Velho ainda nesta quarta.

Felipe da Costa Lira, braço-direito de Beira-Mar, foi detido no Ceará, segundo a PF. Até a última atualização da reportagem, não havia um balanço oficial do número de presos.

Após um ano e meio de investigações, a PF descobriu que Beira-Mar, preso na Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia, diversificou os negócios: os lucros agora vão além do tráfico de drogas. O criminoso controla máquinas de caça-níquel, venda de botijões de gás, cesta básica, mototáxi, venda de cigarros e até o abastecimento de água.

As principais áreas de atuação de Fernandinho Beira-mar são três comunidades de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense: favela Beira-Mar, Parque das Missões e Parque Boavista.

Os policiais cumprem 35 mandados de prisão, sendo 22 prisões preventivas e 13 temporárias, além de 27 de condução coercitiva e 86 de busca e apreensão nos estados do Rio, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Ceará e no Distrito Federal.

Ordens por bilhetes

Segundo os investigadores, na denúncia que deu origem à investigação, foi descoberto que há uma grande quadrilha liderada pelo traficante que, mesmo preso no presídio Federal de Porto Velho, coordena o grupo por meio de mensagens escritas em papel. Por conta dos bilhetes, a operação desta quarta-feira foi batizada de "Epístolas".


4 comentários:

Anônimo disse...

vão transferir ele de novo ? então tenho uma sugestão: que tal transferir ele para o Congresso Nacional / Brasilia. Aposto que não suportará a concorrência criminosa de lá e vai abandonar o crime de vez.

Anônimo disse...

O primeiro mal exemplo de destruição em massa do brasil vem la de cima( políticos). O beira mar é só um pedacinho de gelo nesse iceberg. O
efeito dominó não terminará tao cedo.

Anônimo disse...

Querem despistar atenção dos maiores criminosos desse país q estão no poder. Pior crime é da corrupção q atende a todos diretamente inclusive o q leva o jovem sem perspectiva social ao trafico. Trafico de droga não me atinge. Diferente de trafico de influencia e corrupção.

Anônimo disse...

Hoje tem mais candidatos a vereador do que os efeitos não muda quase nada antecipando as eleições para o próximo ano o congresso vai aprovar sim.