.

.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Temer diz que US$ 40 mi de propina foram para convencer editora a publicar seus poemas

O presidente Michel Temer é acusado pelo ex-executivo da Odebrecht Márcio Faria de pedir 40 milhões de dólares de propina em uma reunião em julho de 2010.
O presidente disse que o dinheiro seria captado pela lei Rouanet para um projeto artístico de sua autoria, o livro de poemas “Anônima Intimidade”.
“A pessoa que me atendeu na editora me deu uma surra com o manuscrito quando levei pela primeira vez e disse que só publicaria se eu pagasse 40 milhões de dólares. Seria para pagar os danos morais das pessoas envolvidas, desde quem cortou as árvores para fazer o papel até o operário que colou a lombada do livro”, disse Temer.
O presidente afirma que, como bom entusiasta das letras, considerou uma “pechincha” o valor.
“Dizem que o papel aceita qualquer coisa, mas você precisa pagar um extra para ele aceitar um poema como este”, afirmou o dono da editora.
EXPOSIÇÃO
Escrever é expor-se.
Revelar sua capacidade
Ou incapacidade.
E sua intimidade.
Nas linhas e entrelinhas.
Não teria sido mais útil silenciar?
Deixar que saibam-te pelo que parece que és?
Que desejo é este que te leva a desnudar-te?
A desmascarar-te?
Que compulsão é esta?
O que buscas?
Será a incapacidade de fazer coisas úteis?
Mais objetivas?
É por isso que procuras o subjetivo?
Para quem a tua mensagem?
Para ti?
Para outrem?
Não sei.
Mais uma que faço sem saber por quê.
Segundo uma pessoa que leu o livro até o fim, 40 milhões de dólares foi muito pouco.

Nenhum comentário: