.

.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

HUM... INTERESSANTE!!! PSDB rompe com Temer, vai entregar cargos e passará a defender eleições indiretas


O principal partido aliado ao governo Michel Temer (PMDB) deverá entregar seus cargos, defender a saída do presidente por renúncia ou impeachment e a realização de eleições indiretas no Congresso Nacional. A decisão deve ser tomada hoje à tarde, e alguns líderes defendiam que apenas era preciso esperar a divulgação do áudio da gravação em que Temer apoia a compra de silêncio de delatores da Lava Jato.

O rompimento está sendo discutido pelos líderes tucanos, que deverão divulgar uma nota com a posição final ainda nesta quinta (18). O consenso que se forma é de que só isso garantirá a sobrevivência mínima do partido. O partido tem quatro ministros no governo, e um deles (Bruno Araújo, Cidades) já defendia o desembarque na noite de quarta (17).

A gota d´água, além do escândalo envolvendo diretamente Temer, foi a operação da Lava Jato contra Aécio Neves (MG). O senador afastado deixou o comando do partido, que dominava desde a campanha de 2014, na qual quase foi eleito presidente contra Dilma Rousseff (PT).

Aécio foi o principal fiador da união entre PSDB e PMDB desde o começo do governo Temer, após a abertura do processo de impeachment de Dilma no ano passado. Foi citado em inúmeras delações e tem inquéritos abertos contra si. Com a delação da JBS, acabou sua condição de continuar liderando os tucanos, o que precipitou a discussão sobre o rompimento.

O outro defensor da aliança, o senador José Serra (SP), já havia deixado o governo em que era chanceler e está se defendendo de acusações na Lava Jato. O principal candidato a assumir a liderança do partido é, ironicamente, o senador Tasso Jereissati (CE), que foi adversário histórico de Serra durante o governo Fernando Henrique Cardoso.

Nenhum comentário: