Twitter            

.

.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Suspeito de matar agricultora teria encomendado morte de delegado


O médico ortopedista Wilson Edino de Freitas Jales, 45 anos, preso nesta quarta-feira (9) como suspeito de assassinar a agricultora Francisca Alves Silva Oliveira, 68 anos; teria encomendado a morte do delegado de Patu, Sandro Régis. A informação foi passada pelo próprio delegado na tarde desta quarta-feira (9) e sido confirmada em depoimento dado por Leonardo Rodrigues do Nascimento, 23 anos, um dos três homens presos com o médico logo após a morte da agricultora.
De acordo com Sandro Régis, o ortopedista foi preso por porte ilegal de arma em 2014. “Desde essa prisão ele ficou me jurando. Não pessoalmente”, explicou o delegado.
Há cerca de três meses, de acordo com informações da polícia, um pistoleiro foi a Patu para matar Sandro Régis. Nesse dia, o delegado não estava na cidade. Mas ligações feitas anonimamente informaram à polícia sobre a presença do homem e sua intenção. Os policiais chegaram a perseguir o suspeito, mas ele conseguiu fugir. Semanas depois, esse mesmo homem apareceu morto na cidade de Areia Branca, a 170 quilômetros de Patu.
ENTENDA O CASO:
O médico ortopedista Wilson Edino de Freitas Jales, 45 anos, preso nesta quarta-feira (9) como suspeito de assassinar a agricultora Francisca Alves Silva Oliveira, 68 anos; teria encomendado a morte do delegado de Patu, Sandro Régis. A informação foi passada pelo próprio delegado na tarde desta quarta-feira (9) e sido confirmada em depoimento dado por Leonardo Rodrigues do Nascimento, 23 anos, um dos três homens presos com o médico logo após a morte da agricultora.
De acordo com Sandro Régis, o ortopedista foi preso por porte ilegal de arma em 2014. “Desde essa prisão ele ficou me jurando. Não pessoalmente”, explicou o delegado.
Há cerca de três meses, de acordo com informações da polícia, um pistoleiro foi a Patu para matar Sandro Régis. Nesse dia, o delegado não estava na cidade. Mas ligações feitas anonimamente informaram à polícia sobre a presença do homem e sua intenção. Os policiais chegaram a perseguir o suspeito, mas ele conseguiu fugir. Semanas depois, esse mesmo homem apareceu morto na cidade de Areia Branca, a 170 quilômetros de Patu.

Nenhum comentário: