.

.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Procuradoria-Geral da Justiça designa cinco promotores para atuarem na crise de Alcaçuz

alcaçuz 1 - canindé soares
O procurador-geral da Justiça do Rio Grande do Norte, Rinaldo Reis, expediu nesta terça-feira (17) uma portaria com o intuito de designar cinco promotores para atuarem conjuntamente na crise prisional do estado, em especial na penitenciária de Alcaçuz, que desde o último sábado (14) vem lidando com um motim provocado pela briga entre membros de duas facções criminosas – o PCC e o Sindicato do Crime.
Os promotores terão a missão de investigar os crimes praticados pelos detentos e possíveis crimes de improbidade administrativa por parte dos agentes públicos, “diretamente ou com acompanhamento das investigações da Polícia Civil”, e na promoção de medidas de políticas públicas em matéria penitenciária, “com todas as prerrogativas asseguradas aos membros do Ministério Público”. O órgão determinou ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO); Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça Criminais (CAOP Criminal); CAOP Patrimônio e o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que prestem apoio prioritário quando necessário aos promotores designados pelo procurador.
b5890a3b-a703-488d-b5a8-312452edc9ad
Os promotores escolhidos foram: Danielli Christine de Oliveira, promotora de Justiça de Nísia Floresta; Antônio Carlos Lorenzetti, promotor de Justiça de Natal; Vítor Emanuel de Medeiros, promotor de Justiça de Natal; Edevaldo Alves Barbosa, promotor de Justiça de Natal e Hellen de Macêdo Maciel, promotora de Justiça Substituta em Natal.

Nenhum comentário: