.

.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Soltos, detentos fabricam armas e se preparam para possível novo confronto em Alcaçuz

Resultado de imagem para fotos rebelião alcaçuz
Passando por diversos motins desde que a rebelião do último fim de semana foi encerrada na manhã de domingo (15), a Penitenciária Estadual de Alcaçuz, maior presídio do Rio Grande do Norte, ainda não tem data para ter seu controle retomado pelo Governo do Estado.
Segundo os secretários Caio Bezerra, da Segurança Pública, e Wallber Virgolino, da Justiça e Cidadania, não há nenhuma previsão para que as forças policiais entrem no presídio e controlem o último motim, que está em andamento desde às 10h50 desta terça-feira (17).
A reportagem do Portal Agora RN esteve em Alcaçuz durante toda a tarde de terça e se deparou com um cenário bárbaro dentro do presídio. No alto de uma duna que fica nas imediações da Penitenciária – e onde a imprensa tem feito seu trabalho -, é possível perceber o complexo completamente destruído e todos os detentos soltos.
Neste momento, apenas uma barricada montada pelos próprios presos separam o PCC do Sindicato do Crime, facções criminosas rivais que lutam pelo comando do tráfico de drogas no Rio Grande do Norte.
As duas frentes passaram a tarde inteira procurando itens para fabricação de armas brancas que possam ser usadas em confrontos futuros.
Agentes de segurança estão nas guaritas do presídio, monitorando a todo momento as ações dos presos. Vez por outra usam balas não-letais para afastar qualquer possibilidade de confronto. Do lado de fora, a Polícia faz todo o acompanhamento ao redor da penitenciária na intenção de abortar qualquer tentativa de fuga.
Ainda não existem informações quanto a detentos que possam ter fugido do presídio ao longo dos últimos dias. Segundo Virgolino, a Sejuc não tem como confirmar essa suspeita uma vez que ainda não fez a recontagem dos presos. A intenção do Governo é tentar essa recontagem até sexta-feria (20), mas não há nada confirmado.

Nenhum comentário: