.

.

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Após rebelião e matança, Alcaçuz tem primeiro dia de visita de familiares

Entrada de familiares em Alcaçuz foi liberada às 8h (Foto: Fred Carvalho/G1)

Após a rebelião que deixou pelo menos 26 mortos, a Penitenciária de Alcaçuz, em Nísia Floresta, teve o primeiro dia de visita neste sábado (11). A entrada de familiares dos presos foi liberada às 8h. No Pavilhão 5 a visita não foi liberada neste sábado.

Desde a rebelião - que começou no dia 14 de janeiro - o fornecimento de alimentos por parte dos familiares dos presos também foi suspenso pela Sejuc. A alimentação dos detentos vinha sendo fornecida exclusivamente pelo Estado.

De acordo com a Coordenação de Administração Penitenciária (Coape), as visitas ficaram suspensas por questão de segurança, já que os presos continuavam soltos dentro da Penitenciária de Alcaçuz.

No dia 22 de janeiro começou a ser feito um muro feito com contêineres – estrutura improvisada para separar as duas facções criminosas que disputam o poder dentro da Penitenciária Estadual de Alcaçuz,

Já no dia 8 de fevereiro o Estado deu início à construção de um muro de concreto que irá substituir o muro de contêineres. Segundo o governo, a construção do muro permanente levará 15 dias.

De acordo com o governo do estado, o muro irá separar os pavilhões 1, 2 e 3 (ocupados por membros do Sindicato do RN) dos pavilhões 4 e 5 (dominados pelo PCC). O muro de concreto terá 90 metros de extensão.

Nenhum comentário: