quinta-feira, 12 de setembro de 2019

TUDO HÁ VER: Ex presidiário é o novo presidente do PT em Mato Grosso





Wendell Girotto, nome conhecido por vendas ilegais de terrenos sem regularização em Rondonópolis, é o novo comandante do PT na maior cidade do interior de Mato Grosso. Wendell já foi preso por ser um dos alvos da Operação “Sem Teto”, durante o ano de 2013, quando negociava lotes do então assentamento Ananias Filho e teria lesado, segundo investigação da época, dezenas de famílias.

Inicialmente, o novo presidente do diretório municipal do PT chegou a ficar foragido, durante a fatídica Operação, mas posteriormente se apresentou na Delegacia da Polícia Civil, responsável por desarticular a quadrilha, e foi levado até a Mata Grande. No total, mais de 200 lotes foram comercializados de maneira ilegal.

Girotto, que já antes tinha passagem na polícia por crime ambiental e por ter lesado moradores de outro assentamento rural, acabou enquadrado em estelionato, formação de quadrilha e falsidade ideológica, na época. Agora, em 2019, com a poeira mais baixa, ele assume o PT falando grosso e com discurso de moralidade.

Garantiu que o partido terá uma chapa completa para disputar a Câmara de Vereadores com 50% dos nomes sendo mulher. “Não temos candidatas laranjas”, alfinetou Girotto, referindo-se as acusações de candidatas “fake” que o PSL teria utilizado nas eleições de 2018, unicamente para atingir a cota feminina.

Wendell chega no partido com o deputado estadual, Valdir Barranco (PT), comandando o PT na esfera estadual e a deputada federal, Gleisi Hoffmann (PT), seguindo nos rumos dos direcionamentos nacionais.

Embora o modus operandi de seu ativismo se pareça, na verdade, com outro líder de esquerda, Guilherme Boulos (PSOL), a verdade é que o histórico de vida de Wendell não poderia estar mais alinhado com o momento petista.

De Lula até o novo líder de Rondonópolis, a verdade é que de cadeia este pessoal da estrela vermelha 13 entende.

0 comentários: